Conciliação de classes não existe, só o PT acreditou

Por Roberto Santana Santos

À luz da possível prisão do ex-presidente Lula e do também possível impeachment de Dilma lembramos de algumas análises de que os governos petistas foram caracterizados como “governos de conciliação de classes”. É inegável que Lula e Dilma, mais o primeiro do que a segunda, atenderam interesses tanto da burguesia quanto algumas pautas mínimas da classe trabalhadora (salário-mínimo acima da inflação, bolsa-família, cotas nas universidades, etc).

Mas o que aconteceu? Há seis anos atrás Lula era “o cara”, tendo seu governo avaliado positivamente por 90% da população, segundo os malfadados institutos de pesquisa. Hoje é escorraçado nas mesas de bar como “o chefe da quadrilha”. Como a percepção do brasileiro mudou tão rápido sobre o ex-presidente?

O problema é que na política não se serve a dois senhores. O PT, que ainda se reivindica de esquerda e é assim identificado pela direita clássica, está há mais de uma década servindo ao capital. Recebe, como todos os partidos da direita, vultuosas doações de empreiteiras, agronegócio e mineradoras. Nunca tocou no monopólio midiático. Mesmo assim, continua não fazendo parte do clube.

Boa parte da burguesia brasileira e seus sócios internacionais fizeram uma opção em 2002 ao apoiar um PT já manso para o Planalto. FHC e o PSDB levaram o país a bancarrota, com o maior número de desempregados no mundo e a pobreza assolando mais da metade dos brasileiros. A Argentina quebrada por seguir as regras do receituário ideal do neoliberalismo. Na Venezuela, o golpe de estado fracassado contra Hugo Chávez reforçou sua liderança e radicalizou a Revolução Bolivariana, declarando-se, a partir de então, socialista.

A crise do neoliberalismo no começo do século fez com que a burguesia entrasse numa tímida defensiva. Percebeu cuidadosamente que havia espaço de diálogo com governos moderados, como os do PT. Só os inocentes acreditam em conciliação de classes. Políticas focalizadas de redução da miséria, pobres nas universidades, aumento do consumo, tudo isso é muito para boa parte do povo brasileiro que nunca teve direito a nada. Mas para o grande capital, é troco.

A partir do momento que os ricos sentem não mais precisar dessa aliança, o projeto do “país de todos” é jogado às favas. Lula e Dilma são fuzilados, com ou sem provas, pelos mesmos que antes os bajulavam. A política econômica da miséria, o controle do trabalhador pela precariedade e a alienação midiática voltam com força total. Quanto mais o PT “cede”, mais os ricos avançam com suas pautas contra o povo. Do que valeu alianças e negociações? Está claro quem deu para trás na tal “conciliação”.

A Casa Grande não aceita novos sócios. Enganou-se o PT ao pensar que cedendo aqui e acolá teria alguma paz ou estabilidade. A ideia de que “luta de classes não existe” é discurso para alimentar a classe média proto-fascista. Pura propaganda. A burguesia sabe muito bem o que é luta de classes e joga com maestria.

Anúncios

5 comentários sobre “Conciliação de classes não existe, só o PT acreditou

  1. Carlos Marques 07/03/2016 / 11:31

    Independente dos fatos políticos e das diferenças de projeto, Lula, não se enganou. Ele sempre esteve a serviço da burguesia. Isso é fato. Enganaram-se todos aqueles que acreditavam diferente. O projeto do PT era avançar em uma outra direção e para tanto romper com esse projeto neo-liberal que Lula implantou, ou prosseguiu nos passos de FHC. E pior, cedeu maiores espaços ao capital, mesmo destinando algumas migalhas ao povão. Havia um projeto do PT e outro do Lula. Só que o PT enquanto partido, sempre viveu à sombra de Lula e não foi capaz de impor ao governo seu projeto de poder. Tendo Lula e seus seguidores mais próximos sido cooptados pelo capital, todo projeto foi por água abaixo. Eu jamais esperava que Lula e seus amiguinhos próximos sucumbissem às tentações do dinheiro fácil. O PT chegou ao poder sempre através do trabalho de sua militância. Não seria necessário dinheiro burguês para continuar. A presidência não seria lugar para enriquecer ninguém. Agora todo projeto de esquerda está enterrado. Por décadas, talvez gerações falar em esquerda será suicídio. Hoje, aqueles que ouviram o meu discurso petista me gozam e humilham. Dizem apenas: trouxa, idiota, quem mandou acreditar naquele cara. E fico com a cara de tacho lembrando do tanto que doei e jamais pedi nada em troca. CARLOS MARQUES(carlmarx@uai.com.br)

    Curtir

    • Suely Azevedo 31/10/2016 / 09:56

      Excelente seu texto, mas um pouco inocente. O poder corrompe. A trajetória de Lula e do PT é só mais um exemplo histórico disso. O PT como oposição fez sempre um excelente trabalho mais ao se tornar “patrão” se tornou uma perda irreparável para a sociedade, pois estava aberto um conflito de interesses inconciliáveis. O resultado político poderia ter sido outro, se o interesse partidário fosse maior que a vaidade e a ganância, O PT governou para os petistas que se submeteram a proprinocracia, não para o Brasil.

      Curtir

  2. Falcão 07/03/2016 / 23:03

    PT mais PLS – Partido do Lula da Silva, maior Partido da ordem no Brasil.

    Curtir

  3. Camila Silva 01/05/2016 / 21:16

    Eu estava pensado exatamente nisso,procurei sobre o assunto no google e achei seu texto,muito bem,a burguesia nunca irá querer abrir mão de seus privilégios,por isso o governo social-democrata do PT faliu.

    Curtir

  4. Suely Azevedo 31/10/2016 / 09:47

    É impressionante como o autor do texto IGNORA completamente o festival apartidário de corrupção promovido pelo PT, que preenchia a fantasia dos filhinhos de papai de que estava promovendo riquezas para os mais pobres, quando ele próprio e seus asseclas enriqueciam através da politica de troca, chantagens, etc. O PT foi a esperança de muitos brasileiros médio, aquele que trabalha e se equilibra com dificuldades com salário mensal, que paga impostos abusivos e que se viu chamado de “coxinha’, burguês raivoso e revoltado com a falsa ascensão dos mais pobres. Esse mesmo discurso que infamou a militância hipócrita da esquerda, revoltou esses trabalhadores comuns, o pagador de impostos, porque o miserável não compreende que só recebeu esmolas e o rico, aquele que é verdadeiramente rico como Lula é hoje, estava lucrando como nunca. Políticos e empresas notoriamente corruptas encontraram na era PT o paraíso. Foi o maior roubo da história do mundo que a esquerda dos alienados ou dos comprometidos com os roubos fingem não ter acontecido. Eu sinceramente lamento que o PT quando teve a chance de transformar o Brasil, optou apenas por enriquecer e esnobar poder porque será muito difícil a esquerda brasileira recuperar se recuperar até como oposição aos vários abusos que a provável hegemonia reativa da direita venha a praticar. O problema do Brasil continua a ser de falta de honestidade e vergonha na cara, achávamos que o PT mudaria isso. O PT foi uma traição que brasileiro (decente) algum esquecerá, porque traição alguma se esquece.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s