Por que eu acho que é Golpe

Acho que as divergência sobre o fato de ser ou nao  golpe tem a ver com uma análise de conjuntura que temos sobre o que tem acontecido. É normal. Afinal, cada pessoa-experiência lê as coisas de uma maneira.

Eu acho que o que está acontecendo é um golpe. E explico o porquê.

No meu entender, o PT representa, hoje, um projeto de “conciliação de classe”. Isso significa que este partido sinaliza ao mercado financeiro e ao produtivo uma possibilidade de seus interesses serem pautados com pouca ou nenhuma resistência dos movimentos populares. Isso foi possível ao neoliberalismo-petista enquanto o excedente produzido ainda permitia uma divisão dos lucros adequada à manutenção do status quo.

A crise mundial – seguindo a cartilha neoliberal, diga-se de passagem – diminuiu consideravelmente esses excedentes e a conciliação foi se debilitando aos poucos, culminando na eleição de 2014, onde o PT, rendido, vendeu um projeto aos eleitores com o único fim de se diferenciar dos tucanos e, ao ser eleito, aplicou a mesmíssima fórmula defendida por Aécio. Tenso.

Com a conciliação indo para o saco, os interesses dos “de cima” começou a diminuir, enquanto os “de baixo” tampouco se sentiam mais contemplados, o que tornou o projeto petista descartável, pós-eleição. O processo de impeachment se insere neste contexto. Especialmente tendo em vista que a direita (com um setor proto-fascista em seu meio) tenta sinalizar que conhece meios para “conter” a classe mais baixa enquanto se locupleta, como sempre fez, das benesses do Estado. Esse mesmo estado que eles dizem ser desnecessário, mas querem tanto-tanto ocupar.

O PT, tendo que escolher seus aliados nessa briga já tomou lado.  Nitidamente volta-se para o mercado financeiro, que reina na atual fase do Capitalismo. Isso explica o embarque da FIESP no impeachment e nenhuma manifestação sequer desses banqueiros que – incrívelmente – continuam batendo récorde de lucros.

A elite que tenta hoje se apoderar do estado só consegue garantir estabilidade ao país (que os mercados tanto desejam) com uma fórmula: repressão. Não é por acaso que a força propulsora da atual situação é o estado policial – via judiciário. As coisas se unem, ainda que não conscientemente, ainda que não colaborativamente, simplesmente porque o intuito é o mesmo. Reduzir direitos. O que é, também, parte da cartilha neoliberal.

Vejam: acredito realmente que é importante reconhecer o que a Lava-Jato tem exposto ao povo brasileiro. Mas isso não se resume à bandidagem do PT – o que eu acredito estar comprovada, diga-se de passagem. Ela demonstra o vínculo intrínseco entre os Poderes instituídos e as grandes empresas. O embricamento entre lucros, exploração e a política atual. Mas nós nao podemos cair no engodo de que “se pode tudo” para “punir” alguns indivíduos, porque essas marcas permanecem. Permitir excessos do judiciário e da polícia sob qualquer argumento é beneficiar o avanço da repressão. Coisa que ninguém quer, a não ser que sejam as pessoas reprimindo.

Então, eu discordo em absoluto de quem acha que um governo que deponha a Dilma por conta de “pedaladas fiscais” não vai reprimir liberdades individuais, sociais e civis. Porque esse é o modus operandi desta direita para lidar com uma crise societária. Punir, reprimir, reduzir direitos. Eu não estou dizendo que o PT não vá fazer isso. Porque eu tenho dúvidas sérias se não vai. Para quem nao lembra, eu já fui alvo desta repressão pessoalmente. E sei que este partido só usa trabalhadores em seu nome, sem nenhum respeito real às suas demandas. A copa do mundo é prova disso. O problema é que eu tenho certeza absoluta que os governos que virão da direita (ou mais à direita do PT) vão fazer isso com mais força e interesse.

Pra mim é golpe por todas essas razões. E em todos os sentidos possíveis, apesar de diferente em método ao de 64. Quem quiser discordar, eu respeito. Mas sem dizer que nao pensei, que não tenho explicações e etc. Estão todas elas aí para quem quiser concordar ou me chamar de pelego. O que eu também respeito. Afinal, posso ser comprovado errado a qualquer momento nesta atual conjuntura.

Anúncios

Um comentário sobre “Por que eu acho que é Golpe

  1. Elton Freitas 01/04/2016 / 09:09

    Gustavo ! Vc conseguiu, parabéns . Colocou um resumo absurdamente lógico, isento e embasado do cenário político. Foi uma leitura prazerosa, infornativa e inspiradora . Obrigado .

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s